Queijos: Degustação e conservação

Publicou: Marcia Parente às 01:00
Conheça alguns tipos de queijo e como consumí-los.
O CREMOSO
Melba: se ao chegar no supermercado o seu carrinho já faz o trajeto no piloto automático até a prateleira de requeijão, aprenda este outro caminho: o da prateleira dos queijos melba. Eles são muito mais cremosos e vão, sem dúvida, impressionar: muitos já vêm temperados com cebolinha, tomate seco, amêndoa e damasco. E vão muito bem com torrada.

NA SALADA
Chèvre: para fugir do tomate seco, da rúcula e da mussarela de búfala, dê um upgrade comprando um vidrinho de queijo chèvre, que é elaborado com leite de cabra. Para uma salada simples e deliciosa, misture o chèvre, uma bandejinha de morangos e outra de tomates-cereja.
Junte tudo e tempere com sal e pimenta-do-reino moída. Numa panela, leve ao fogo 3 medidas de vinagre balsâmico para 1 de mel e deixe reduzir, formando um xarope. Jogue a mistura por cima. E aguarde os elogios.

Junte tudo e tempere com sal e pimenta-do-reino moída. Numa panela, leve ao fogo 3 medidas de vinagre balsâmico para 1 de mel e deixe reduzir, formando um xarope. Jogue a mistura por cima. E aguarde os elogios.

PARA QUALQUER HORA
Gruyère: sabe aquela comunidade do Orkut "Eu abro a geladeira pra pensar"? Assim, sem motivo, só pra ver o que rola lá dentro? Isso pode acometer tanto os glutões como quem está a fim de comer algo e não sabe o quê. O gruyère é um tipo de queijo que vai bem numa hora dessas, seja como petisco ou num sanduba. O queijo estepe também pode servir como um bom... substituto.

COM VINHO
Gouda curado holandês: aquela máxima de que queijos e vinhos formam um casamento perfeito deve ser vista com desconfiança. O queijo tem alto teor de gordura, sal e elevada acidez, o que pode bagunçar tudo se for harmonizado com o vinho errado. Um gouda curado, de sabor acentuado e com cristais de sal, combina bem com vinhos mais potentes, como um malbec ou cabernet sauvignon.

O VERSÁTIL
Brie: nove entre dez tábuas de queijo levam o dito-cujo. Nãoé para menos: além de cremoso, de sabor adocicado e levemente defumado, ele também tem uma ótima relação custo/ benefício.

Mas fique atento para esta dica de Geraldo Lima: na hora de comprar um pedaço, certifique-se de que ele esteja estufadinho como na foto, com o recheio ultrapassando um pouco a casca. Do contrário, ele pode não ter sido curado o suficiente, o que resulta num sabor amargo.

DE SOBREMESA
Crem'Azur: o gorgonzola, da família dos queijos de mofo azul, é tiro-e-queda na hora de impressionar. De fato, ele é uma delícia. Se quiser uma variação mais sofisticada, procure um Saint Agur ou, se a grana for curta, o Crem'Azur, da Polenghi, de consistência mais cremosa e sabor bem acentuado. Vai muito bem com uva tipo moscatel, damascos secos ou numa baguete.

Dicas de conservação

A maneira mais comum de armazenar um queijo é enrolar em filme plástico e colocar no fundo da geladeira. Mas isso nem sempre é a maneira mais correta. Alguns queijos precisam respirar, senão podem acabar secos ou com gosto de geladeira. Veja só:

GUARDE NA GAVETA
A gaveta dos hortifrútis é ideal para guardar queijos moles porque ela retém mais umidade, evitando assim que virem uma pedra. Uma adeguinha de vinhos também cumpre bem o papel.

EMBALE CORRETAMENTE
> No caso do brie, use filme plástico apenas nas laterais, onde fica a parte mais mole, e deixe a casca "respirar".

> O gorgonzola fica melhor embalado em papel-alumínio, que deve ser substituído diariamente para evitar que forme umidade.

> No caso de queijos curados, use duas camadas de papelmanteiga, que ajuda a reter o aroma marcante sem infestar a geladeira com cheiro de chulé.

Fonte: Revista Men's Health


0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Seu comentário é muito importante.

 

Saudável e Bela Copyright © 2012 Design by Cecilia Parente inspirado em Vinte e poucos