Dieta real, você em alto astral!

Publicou: Marcia Parente às 01:00

Já diziam as nossas avós: tudo que vem fácil, vai embora fácil.
Segundo Marcio Mancini, endocrinologista e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), estabelecer metas de emagrecimento impossíveis é um erro grave e frequente.
"Muitas pessoas têm a idéia equivocada de que é fácil perder peso, mas, nos casos de emagrecimento drástico, o efeito sanfona é quase certo. Uma das premissas do tratamento médico e nutricional é estabelecer metas reais de longo prazo", diz o médico.
A conta ideal é perder 10% do peso em seis meses.
"Às vezes, esse número desmotiva, mas ninguém se torna obeso de uma hora para outra. Então, não é saudável, nem duradouro, emagrecer rapidamente", explica Lara Natacci, nutricionista (SP).
Segundo os médicos, dietas restritivas demais são a pior escolha, pois "enjoam facilmente", não oferecem os nutrientes necessários à saúde e ainda promovem resultado contrário ao esperado.
"Isso provoca estresse. Num jejum prolongado, aumentam os níveis de cortisol no sangue, o que causa mau humor, irritação, intestino preso e outros distúrbios", explica Lara Natacci.
Para não trocar um problema por outro, é preciso ter calma!
A ansiedade está por trás do desejo de perda rápida de peso.
"É como se a pessoa quisesse que as coisas acontecessem antes do tempo necessário. Por causa da ansiedade, é comum, nesses casos, as mulheres sentirem vontade de comer doces, especialmente chocolates, pela sensação de prazer que proporcionam. Ou seja, ao invés de emagrecerem, podem engordar", avisa a psicanalista Elizandra Souza.
E dá para controlar essa sensação?
Segundo Elizandra, às vezes é necessária a ajuda de um especialista, mas, em outros casos, com um bom planejamento é possível "segurar" a pressa.
"Isso significa traçar metas e objetivos, como o quanto se quer emagrecer, e em quanto tempo, qual será a dieta a ser seguida, quantas vezes por dia deve alimentar-se, o que comer em cada refeição, e quais os horários para a atividade física", ensina.
A psicanalista adverte que somente um profissional pode avaliar a necessidade de remédios.
"Vale lembrar que toda medicação mexe com o organismo. Deve-se, primeiro, tentar dietas orientadas, aliadas a exercícios. Se não der certo, aí, sim, é possível pensar em medicação, que deve ser prescrita por médico", recomenda.

Fonte de referência:Revista Corpo a Corpo

1 comentários:

nick@ on 19 de agosto de 2009 17:47 disse...

Oi
Venho com presentes: http://i609.photobucket.com/albums/tt172/nickapaulo/presentes/oferecidos/5000_visitas.gif

Agradecendo pelas visitas tão doces e amigas deixadas no meu site. Poucas ou muitas todas contaram para um número tão agradável. Muito obrigado pelo teu carinho constante. Espero fazer o mesmo por ti, e se achares que não é só me chateares que passo sempre, nem que seja para dar um oi =D Obrigadíssimo mesmo

Concordo contigo. A minha dieta como foi com muito exercicio só voltei a ganhar o peso depois de dois anos de comer porcaria e vida sedentária. Agora estou de volta ao exercício e nada de dietas de comer. Eu gosto por isso não consigo para =D Mas exercicio resulta para mim, mas não para toda a gente.

beijos grandes e tem uma boa semana :*

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Seu comentário é muito importante.

 

Saudável e Bela Copyright © 2012 Design by Cecilia Parente inspirado em Vinte e poucos