Emagrecimento na geladeira?

Publicou: Marcia Parente às 01:00
Quer emagrecer? Então fique de olho na geladeira!
Fotos: StockFood/LatinStock (abertura) / Sidney Tu

Abrir a geladeira e deparar-se com uma infinidade de guloseimas é a morte para qualquer pessoa que está de regime. Essa cena pode acontecer tanto na casa de alguém que mora sozinha quanto na de quem vive com os familiares. O problema é que se na hora que bate a fome ou que dá aquela louca vontade de comer uma coisinha, se essas tentações estiverem à mão, não tem jeito, ela vai parar exatamente onde não devia: na nossa barriga! Logo, o problema não é a guloseima que está na sua geladeira, mas o impulso de quem compra. E essa é uma tarefa que pode ser exclusivamente sua ou culpa dos outros que convivem com você. "Tudo vai depender dos hábitos alimentares da família, para quem mora acompanhada, e de como é a compra do supermercado, para as que vivem sozinhas", adverte a nutricionista Daniela Jobst (SP), especialista em Nutrição Funcional. Selecionar o que vai ser consumido é a grande vantagem que os especialistas destacam para as pessoas que vivem só. Segundo a nutricionista Alessandra Rodrigues (SP), elas têm a opção de ter ou não as guloseimas em casa, e não mantê-las a vista ajuda bastante quem está de regime. De acordo com o endocrinologista Tércio Rocha (RJ), um estudo americano revelou que o número de obesos mórbidos nos Estados Unidos duplicou e mais de 75% deles moravam sozinhos. Ele atribui esse índice à solidão. "A pessoa chega em casa, não tem com quem conversar e encontra na comida um alento. Outra desculpa é que, por não ter tempo de preparar o alimento saudável, muitas vezes apela para os congelados e lanches, que, na maioria das vezes, são mais calóricos," afirma. Mas independentemente se você mora sozinha ou com familiares, é preciso estar de olho em como abastece a sua geladeira tanto para manter saudável a alimentação da família, como para reduzir as calorias de quem precisa emagrecer.

Fotos: StockFood/LatinStock (abertura) / Sidney Tu

Sirva-se, mas não à vontade
As nutricionistas Alessandra Rodrigues e Daniela Jobst selecionaram 20 dicas que vão ajudá-la não apenas a arrumar a sua geladeira, mas como escolher, acondicionar e preparar os alimentos para que você emagreça com saúde.

1- Sempre que possível lave as frutas, verduras e legumes antes de guardá- los e os seque bem para aumentar o tempo de conservação.

2- Os alimentos devem ter suas embalagens higienizadas.

3- As embalagens plásticas, de papelão (como a caixinha do iogurte, pacote de refrigerantes) ou pratos de isopor devem ser retiradas, pois impedem a adequada refrigeração do produto, além de favorecer a contaminação de outros alimentos.

4- A fonte de proteína também deve estar semipreparada: bife, frango, peixe, ou outro tipo de carne podem ser temperados na véspera, a fim de facilitar o preparo e não fazer com que você coma qualquer besteira em vez de uma refeição saudável.

5- Guarde alho e cebola em recipientes rosqueados para evitar que o cheiro fique impregnado.

6- Caso não seja possível higienizar algum alimento, mantenha- os isolados dos demais alimentos (é o caso de carnes, frangos, peixes) nas gavetas da geladeira ou em sacos plásticos.

7- Evite comprar doces. Tenha na geladeira frutas como banana, pera e maçã, que assadas e cobertas com canela, saciam a vontade de comer doce, sem pesar na balança.

8- Deixe pronto um molho de salada. Para facilitar no momento de servir o prato. Sem contar que se bem guardado (em potes fechados) podem durar até cerca de 4 dias na geladeira!

9- Se bater aquela vontade de comer fora de hora, e você logo se encaminhar em direção a geladeira, o ideal é encontrar gelatina light, suco light (de preferência em pó), chá gelado - seja de erva cidreira, cravo e canela, e também as versões verde, branco e vermelho.

10- Deixe sempre fácil na geladeira uma porção de queijo cottage temperado com orégano e tomates picados. Essa mistura serve para rechear endívias ou para preparar rolinhos de frios (com peito de peru, chester ou presunto magro, por exemplo)

11- refrigerante X suco natural
A segunda opção é sempre melhor. "Mas é preciso consumir com controle, afinal, eles são mais saudáveis do que os refrigerantes, porém, engordam. Eu diria que para serem tomados no dia-a-dia, o ideal é que cada pessoa não ultrapassasse 500ml. Imagine que para um copo de 200ml de suco de laranja, sejam necessárias três, quatro laranjas, o que pode somar mais de 300 calorias. Enquanto que a fruta tem no máximo 80 calorias e ainda é rica em fibras, que ajuda manter a saciedade", considera.

12- Organize sua geladeira: Gaveta inferior: reserve para verduras, legumes e folhas.

Prateleira inferior ou gaveta intermediária: especial para frutas. Prateleira do meio: alimentos semiprontos ou pré-preparados, legumes cozidos e frutas lavadas. Como o ar prejudica os alimentos, procure usar embalagens proporcionais à quantidade que será armazenada.

Prateleira superior: alimentos prontos para consumo (como sucos de caixinha e na jarra, pratos prontos, doces, iogurtes, queijos). Lembre-se de que carnes e pratos prontos devem ser consumidos dentro de, no máximo, 48 horas após o descongelamento. No caso de peixes e frutos do mar, a utilização deve ser imediata. Gaveta superior: queijos cremosos, manteigas, margarinas.

Na porta: caixas de leite desnatado, sucos, maionese, mostarda, molho inglês e catchup, todos de preferência light.

13- As frutas são ótimas opções para enganar a vontade de comer um docinho. Porém, cuidado com as quantidades! O ideal é não ultrapassar três porções de fruta por dia.

14- Para facilitar a hora do jantar, tenha sempre lavados e acondicionados na geladeira diversos tipos de folhas para a salada, além de tomate e pepino picados, cenoura, beterraba ou rabanete ralados, etc.

O importante é que estando pronto você não sinta preguiça de comer.

15- Se você mora sozinha, tenha sempre à mão atum em lata, queijos como ricota ou branco temperados, ou mesmo frios como peito de peru e de chester. Eles não apenas acompanham a sua salada colorida, mas completam o jantar nutritivo e pouco calórico", avisa Daniela.

16- Distribua o que sobrou de um almoço, reunião ou festa feita em casa, evite guardar na geladeira especialmente o excedente de doces. Afinal de contas, o fácil acesso pode fazer você cair em tentação.

17- Prepare gelinhos light (feito com suco light em pó e congelado em forma de gelo) e consuma livremente nos momentos que a vontade de comer um docinho for incontrolável.

18- Faça uma musse light rápida: bata 200ml de gelatina pronta com 1 pote de iogurte light e leve para gelar. É uma ótima opção de ceia, se você jantar cedo demais.

19- Faça uma musse light rápida: bata 200ml de gelatina pronta com 1 pote de iogurte light e leve para gelar. É uma ótima opção de ceia, se você jantar cedo demais.

20- Bolinhas de mussarela de búfala light, tomate-cereja, cenourinhas baby e pepinos picados são ótimas opções tanto para um aperitivo, quanto para beliscar fora de hora ou mesmo para a hora do lanche. É só levar num pote muito bem fechado e acondicionado.

Fotos: StockFood/LatinStock (abertura) / Sidney Tu

Diet ou Light?
Sempre pinta uma dúvida na hora de comprar esses produtos. Confira algumas dicas para aprender a diferenciá-los e identificar qual deles é melhor para a sua dieta.

Diet > esses produtos são, por definição, alimentos que apresentam ausência de algum nutriente específico, seja ele açúcar, gordura, proteína ou sódio. Geralmente são usados por pessoas que precisam restringir o uso de algum desses nutrientes, como os diabéticos e hipertensos. Mas tome cuidado, pois como todo alimento, se consumidos sem moderação acarretam problemas e podem engordar.

Light > os alimentos rotulados como sendo light costumam apresentar redução de no mínimo 25% de algum nutriente específico (como gordura, acúcar ou sódio). Mas lembre- se que isso não significa que ele é ausente, como no caso dos diet. Esses produtos são indicados para pessoas que seguem alguma dieta de emagrecimento, pois essa redução de valores ajuda a diminuir o número de calorias do produto e acaba auxiliando no processo geral da perda de peso.

Fotos: StockFood/LatinStock (abertura) / Sidney Tu

Coma bem e sem sacrifícios
"É claro que pensar em restrição alimentar nunca é saboroso. No entanto, liberdade em excesso é maléfico em todos os sentidos, e isso também inclui a dieta", afirma a endocrinologista Alessandra Rascovski, da Clínica Filippo Pedrinola (SP). Para a médica, a postura básica a ser mantida é mudar a afirmação - que já se tornou uma lei - de que estar de regime para emagrecer é um castigo. "Imagine uma pessoa com 20 quilos acima do peso, que tentou todos os regimes possíveis e nunca alcançou um resultado satisfatório. Será que ela consegue passar ilesa pelas armadilhas? Geralmente, não", afirma. "Em geral, elas começam uma dieta hoje, seguem durante três, quatro dias, aí vão para uma festa, comem tudo o que não deveriam e desistem. Só por causa da recaída.

Ou, ainda, chegam em casa ansiosas por algum motivo depois de seguir o menu diário direitinho, mas aí abrem a geladeira e engolem uma lata de sorvete inteira e põem tudo a perder. Claro, esta pessoa vai ficar sem nenhuma motivação para continuar", esclarece a Dra. Alessandra.

O grande problema é que o prazer da comilança dura poucos minutos, apenas até o cérebro liberar a endorfina (que causa aquela sensação gostosa), chegando ao pico. No entanto, a queda vem logo depois e, com ela, toda a sensação de culpa.

"É preferível o prazer do autocontrole (e todos têm essa capacidade!) do que se deixar levar por uma alegria falsa, que é breve e ainda seguida de culpa", admite a endocrinologista.

Fonte: Revista Plástica e Beleza

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Seu comentário é muito importante.

 

Saudável e Bela Copyright © 2012 Design by Cecilia Parente inspirado em Vinte e poucos